Lideranças empresariais avaliam medidas anunciadas pelo Governo do Estado

Prevenção

O presidente da ACIJS e do Centro Empresarial, Luis Hufenüssler Leige, avalia que as medidas anunciadas pelo governador Carlos Moisés na noite desta quinta-feira (26) são positivas no sentido de encaminhar o estado para uma retomada gradual de normalidade em muitas atividades.

Para o empresário, o anúncio do Plano Estratégico de Retomada das Atividades Econômicas traz alento às comunidades diante das medidas de restrição que haviam sido adotadas a partir do dia 23, mas impõe à sociedade de maneira geral que se redobre os esforços quanto aos cuidados sanitários e higiênicos nos lugares públicos, estabelecimentos e empresas, assim como nas limitações em relação à locomoção e aglomeração das pessoas.

“Tarefa que irá demandar engajamento ainda maior das empresas, de entidades e do poder público, para conscientizar e fiscalizar, como forma de controle da situação e na perspectiva de novas decisões para que as cidades voltem a um ritmo mais confortável para todos os setores”, avalia. Também deve ser motivo de atenção, a intensificação das medidas de estruturação das frentes de saúde, privadas e públicas, “que a partir de agora precisam de modo mais intensivo atualizar seus protocolos”.

Em relação ao pedido feito ao Governo do Estado para que Jaraguá do Sul possa adotar um modelo de isolamento social vertical, o empresário entende que o trabalho de articulação realizado pelo Comitê Extraordinário de Gestão de Crise – Covid-19, é fundamental para fazer uma gestão localizada das questões que envolvem o controle e enfrentamento da pandemia no município. “A sinergia de todos os segmentos, entidades, empresas e poder público, que fazem parte do comitê, se torna ainda mais essencial, principalmente para a saúde, a segurança e na educação”.

O presidente da FIESC – Federação das Indústrias de Santa Catarina, Mário Cezar de Aguiar, segue no mesmo tom ao comentar o anúncio de flexibilização parcial das restrições à atividade econômica. Disse que é um avanço necessário, e  já era esperado pelo setor industrial, “pois entendíamos que a manutenção dessas restrições impostas à sociedade catarinense causaria um dano ainda maior do que o provocado pelo coronavírus”.

Aguiar destaca que, para o setor industrial, um dos pontos mais importantes é a volta às atividades no segmento da construção civil, uma das questões que a FIESC discutiu intensamente com o Governo do Estado ao longo dos últimos dias. “Este é um setor importante, com grande número de empregados e que poderá contribuir com a retomada econômica. Outro aspecto que merece destaque entre as medidas anunciadas pelo governo é a gradual volta das atividades no comércio, pois sem as vendas do varejo, a produção industrial, mesmo que parcial, ficaria comprometida”, afirma.

A exemplo do presidente da ACIJS, o presidente da FIESC ressalta a necessidade de que todos os segmentos da sociedade catarinense entendam a importância da manutenção dos protocolos de segurança, principalmente preservando as pessoas do grupo de risco.

Para o presidente da FACISC – Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina, Jhony Zulauf, a decisão do governador em flexibilizar as medidas tomadas diante do coronavírus traz mais tranquilidade ao setor produtivo. “Estamos evoluindo bem, as primeiras medidas adotadas pelo governo surtiram efeito e agora temos a retomada de atividades”.

Ele diz que a FACISC apoia todas as ações que o governo vem tomando, desde a adoção de protocolos que, entende, são coerentes quanto aos cuidados que ainda precisam ser tomados com as pessoas mais vulneráveis à doença. “Agora temos a expectativa de recuperação dos prejuízos que já atingem muitas empresas”, completa Zulauf.

Conheça o Plano Estratégico anunciado pelo Governo do Estado