Jaraguá do Sul mantém ritmo acelerado de vacinação

Dúvidas Comuns, Orientações, Prevenção, Protocolos nas Empresas

A Prefeitura de Jaraguá do Sul, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, dá sequência à vacinação contra a Covid-19 e espera a chegada de novas doses de vacinas nesta terça-feira (6), se confirmado o calendário de distribuição divulgado nesta segunda-feira (5), pelo Governo do Estado de Santa Catarina. De acordo com o secretário de Saúde, Alceu Gilmar Moretti, cerca de sete mil doses devem reforçar o Plano de Imunização no município.

Nesta segunda-feira (5), foi liberada a vacinação para pessoas com 43 anos, além dos grupos já contemplados, após um fim de semana de muito movimento na Central de Vacinas, no Parque Municipal de Eventos, quando mais de 2.600 pessoas foram imunizadas com a primeira dose (D1).

Enquanto dá sequência ao PNI (Plano Nacional de Imunização), por faixa etária, a Secretaria Municipal de Saúde, avalia a inclusão dos trabalhadores da indústria nos grupos prioritários, de acordo com determinação do Estado. Segundo a orientação, uma cota de 30% do total de doses deve ser utilizada para contemplar o novo grupo, o restante, 70%, será destinado para a população em geral por faixa etária.

A Associação Empresarial de Jaraguá do Sul informa que existem aproximadamente 37 mil pessoas trabalhando nas indústrias jaraguaenses. O presidente da entidade, Luis Hufenüssler Leigue, que integra o Comitê de Combate à Covid-19, estima que isso representa 30% da população acima de 18 anos, elencada como público-alvo do Plano Nacional de Imunização.

Também, é necessário levar em consideração que muitos trabalhadores das indústrias locais residem nos municípios da região, como é o caso de Guaramirim, Schroeder, Corupá e Massaranduba e devem ser vacinados onde mantém domicílio. A presidente do Comitê de Combate à Covid-19, Emanuela Wolff, destaca que, “parte dos trabalhadores da indústria já está sendo contemplada com a vacina, pela faixa etária ou por estar inserido em algum grupo de risco”.

Para o secretário de Saúde, Alceu Moretti, a inclusão dos trabalhadores da indústria como prioritário à imunização poderá trazer lentidão ao processo, principalmente, pelo fato de o Governo do Estado ter apontado como exigência a apresentação de documentos que comprovem a atividade, como a carteira de trabalho ou crachá funcional, ou contracheque com documento de identidade, além de declaração da empresa com indicação de CNAE (Classificação Nacional de Atividades Econômicas) e de sua descrição.

“Hoje, nossa capacidade de imunização é de aproximadamente 1.500 pessoas por dia. Caso seja necessário necessário conferir mais documentos, como é o caso dos exigidos pelo Estado para o pessoal da indústria, imagino que este processo sofrerá lentidão”, estima.

A lista completa de atividades da indústria contempladas no grupo prioritário também está descrita na Nota Técnica 032.

[Fonte: Prefeitura de Jaraguá do Sul]