Campanha de divulgação orienta comunidade para a importância da segunda dose de vacinação

Dúvidas Comuns, Orientações, Prevenção

A ACIJS deu início nos últimos dias a uma campanha de divulgação com o objetivo de motivar a comunidade na procura pela segunda dose da vacina contra a Covid-19. Com apoio da CDL, a entidade vem utilizando mídias digitais nas redes sociais, outdoors e outras peças publicitárias, contando com a adesão colaborativa de veículos de comunicação de Jaraguá do Sul e região.

Com o mote “Tome consciência. Tome a 2ª dose”, as peças buscam reforçar a importância do complemento do ciclo de imunização, principalmente nesse período que se aproxima da chegada de fim de ano, com férias, viagens e deslocamentos em que há maiores riscos de desmobilização.

Um quadro que pode se agravar diante da descoberta de uma nova variante, cuja forma de enfrentamento ainda está sendo estudada pelas autoridades, ao tempo em que orienta-se para que os cuidados sejam redobrados no cumprimento dos protocolos sanitários respeitando a agenda de vacinação.

Os materiais de divulgação relacionam consequências da falta de uma vacinação, seja com a primeira ou a segunda dose, traz a toda a sociedade, seja com um novo lockdown, efeitos da crise na economia, na educação e no dia a dia, além do impacto com perdas de familiares e de pessoas próximas.

>>> Confira algumas das mensagens da campanha:

“Mais do que uma questão de saúde pública, o que já é determinante para que sigamos nos cuidando, esta é uma situação que atinge a todos. Tudo o que puder ser feito para que possamos enfrentar a pandemia, eliminando riscos ou mitigando os efeitos da doença, sempre fará sentido, porque se trata de saúde, de bem-estar e qualidade de vida”, comenta o presidente da ACIJS Luis Hufenüssler Leigue.

Uma das questões que tem preocupado as entidades que se engajam no combate ao coronavírus, explica Luis Leigue, é com a abstenção de uma parcela considerável da população que não tem buscando o imunizante, mesmo em relação à primeira dose e, muito mais, quando se trata da dose complementar.

“É preciso reforçar a ideia de que o ato de se vacinar não diz respeito somente a uma decisão individual, mas de consequência coletiva. Precisamos da consciência de todos de que enquanto não tivermos total segurança em relação à situação de pandemia, a vacina é nossa melhor alternativa, junto com todos os cuidados recomendados pelas autoridades de saúde”, insiste.